0

Apple: Respeito pelos usuários é traduzido em acessibilidade total de seus produtos (texto de @marcusvinicios6 )

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Este blog me surpreende e, por que não dizer, me emociona a cada dia. Um bom exemplo disso foi um e-mail que recebi de um rapaz – que agora é um amigo – chamado Marcus Vinicios que, despretensiosamente  me enviou uma sugestão de pauta: falar sobre aplicativos para iOS. Como diria Humberto Gessinger na música Pra Ser Sincero, “eu fui sincera como não se pode ser...” dizendo que, infelizmente, me faltava era um produto Apple já que todos os testes que faço são no meu modesto Samsung Galaxy. Porém ficaria muito contente se ele compartilhasse a experiência que ele tem com os produtos da Apple e a sua acessibilidade ímpar. E, sem exitar foi o que ele fez em um texto lindo e emocionante. Daqueles que servem para incentivar muitas empresas a pensar SEMPRE em acessibilidade antes de desenvolver o seu produto. Com vocês, Marcus Vinicius. 

descrição da imagem: imagem retangular. fundo branco com apenas dois elementos. do lado esquerdo o simbolo da empresa Apple, que é uma maçã prateada sem um pedaço em meia-lua como se tivesse sido mordida. Do lado direito, um circulo azul e no meio um boneco branco de braços abertos, sem detalhes. simbolizando a acessibilidade dos produtos.


Texto: Marcus Vinicios

Meu nome é Marcus Vinicios e escrevo do Rio de Janeiro. Hoje vou contar-lhes um pouco sobre minha experiência com a Apple, seus produtos e a acessibilidade nos mesmos.

Como sabem, a Apple desenvolve um leitor de tela chamado VoiceOver (VO). Primeiramente, esse leitor foi lançado para o Mac OS X e, em 2009, foi lançado para iPhone 3GS. O VO foi o primeiro leitor de tela a permitir que uma pessoa cega pudesse utilizar normalmente um dispositivo touchscreen.

Não se sabe exatamente como a Apple decidiu desenvolver um leitor de tela, mas segundo relatos foi o próprio Steve Jobs quem queria que seus produtos fossem os mais acessíveis possível. Desde 2009 a Apple integrou o VO ao iPhone 3GS, logo em seu lançamento. Foi muito comentado na época. Desde então, o VO está disponível em todos os produtos da Apple gratuitamente. Em minha opinião, o iOS é o sistema mobile mais acessível para deficientes visuais. Seus gestos são completamente intuitivos e práticos.

Comprei meu primeiro iPhone em 2010 e, desde então, já adquiri outros produtos da Apple. Em 2010, quando decidi comprar um novo telefone celular, os tão comentados Smartphones, ficava pensando: "Como um cego pode utilizar um Smartphone touchscreen? IMPOSSÍVEL!". Os celulares da Nokia já estavam se tornando obsoletos e, os leitores de tela disponíveis para Symbian, eram caríssimos, desenvolvidos por terceiros e não funcionavam muito bem com dispositivos touchscreen. Pensei: "Será que um Smartphone Android possui uma acessibilidade plena?". Não sabia nada sobre a acessibilidade neste sistema operacional. 
descrição da imagem: impressão da tela do site da apple no qual mostra uma mão segurando um iPad no ar e balões de diálogo em inglês, indicando a navegação pelos aplicativos. Do lado direito da imagem, a informação de que o voiceover fala 36 idiomas e a incrível lista desses 36 que além de português brasileiro, de portugual inclui romeno, eslovaco, indonésio, checo e até Flamenco! Fim da descrição

Felizmente, depois de muito procurar e encontrar vendedores que nem sabiam o que é um leitor de tela, encontrei um vendedor chamado José. Foi o melhor vendedor que já encontrei até hoje! Ele sabia tudo sobre acessibilidade. Aprendeu sozinho e por vontade própria, pois nunca recebeu nenhum treinamento a respeito. Perguntei a ele sobre Smartphones acessíveis e pedi mais informações sobre a acessibilidade no Android. Ele me disse que, infelizmente, o Android tinha uma acessibilidade muitíssimo limitada. Quase nula (naquela época a acessibilidade no Android era pior que hoje). Além de a acessibilidade ser horrível (o leitor de tela tinha problemas em navegar dentro do próprio sistema) e muda de um Smartphone para outro, estava começando a ser desenvolvido a pouco tempo, era preciso baixá-lo, instalá-lo. Isso, claro, com a ajuda de alguma pessoa que enxergasse e soubesse usar um Smartphone. Além disso, o leitor de tela não trazia uma voz em português. Hoje até podemos comprar uma, mas não sei se naquela época era possível. Mesmo assim, ele, com toda boa vontade do mundo, fez login com sua conta no Android Market (hoje Google Play) e baixou o Talkback, selecionou uma voz em Espanhol e pediu para que eu tentasse navegar no sistema, para ver se eu iria gostar. Não gostei. Assim que o leitor de tela é ativado, o sistema fica muito lento (isto acontece até hoje), o Talkback tinha/tem dificuldades em navegar dentro do próprio Android, pouquíssimos apps eram acessíveis etc. 

descrição da imagem: imagem alinhada à esquerda do texto. Na tela de um iPhone, as configurações para o uso do VoiceOver. Fim da descrição.
Quando eu já estava desistindo, já pensando em adquirir um celular comum da Nokia ou permanecer com o meu antigo em que eu só fazia e recebia chamadas e enviava SMS, ele falou sobre o iPhone, a acessibilidade do mesmo e como a Apple respeitava seus clientes. Me perguntou se eu gostaria de ver o iPhone em funcionamento. Claro que eu quis! Ele me explicou que o iPhone era todo touchscreen. Fiquei receoso, mas quis experimentar. Em menos de um minuto ele ativou o VoiceOver, pois o mesmo já vem instalado em todos os produtos da Apple. Fiquei muito feliz e surpreso ao ouví-lo falar em português. Depois de 5 minutos com o aparelho nas mãos, já consegui navegar na Internet. Lembro-me como se fosse ontem! Abri o Safari e uma página da UOL foi carregada. Consegui navegar totalmente na página, naveguei pelo sistema etc. Mesmo depois de ter gostado muito e já ter decidido que eu iria comprar um iPhone, decidi ir para casa e pesquisar mais sobre o assunto e, voltaria no dia seguinte para comprá-lo.

Fui para casa e, ao chegar, fui imediatamente pesquisar sobre a acessibilidade no iPhone. Me surpreendi mais ainda! Além de diversas notícias a respeito, a própria Apple disponibiliza uma página em português explicando como um cego consegue usar um iPhone com total autonomia e independência:


Se eu pudesse, tinha voltado na loja no mesmo dia! :) Mas como não era possível, tentei dormir e no dia seguinte comprei meu iPhone. Estou muito feliz com ele.

Hoje o iPhone faz parte do meu dia. Uso vários aplicativos que me auxiliam muito. Identificador de cores e dinheiro, identificador de objetos e produtos, scanner de documentos (OCR) etc. Eu consigo, inclusive, fotografar o rosto de uma pessoa sem a ajuda de ninguém, pois o próprio VO fala se o rosto está centralizado, quantos rostos estão aparecendo... É difícil falar profundamente sobre a acessibilidade em produtos da Apple porque ela é tão bem feita e planejada que não dá para comentar sobre tudo.

A Apple tem tanto respeito pelos deficientes, que disponibilizam um e-mail para entrarmos em contato caso haja algum problema de acessibilidade em seus produtos


...treina todos os vendedores das AppleStore e das lojas revendedoras de seus produtos para auxiliarem os deficientes, disponibilizam documentos no Apple Developer para ensinar como os desenvolvedores podem tornar seus apps acessíveis  etc.

Quando falamos de acessibilidade em produtos da Apple, não estamos nos referindo apenas aos deficientes visuais, mas a várias deficiências. A Apple oferece acessibilidade para cegos, deficientes auditivos, pessoas com problemas motores etc. Para saber mais sobre a acessibilidade em produtos da Apple, acesse:


Para saber e entender um pouco mais como uma pessoa cega consegue usar o iOS, assista este vídeo:


Se você ainda tiver alguma dúvida e quiser entrar em contato comigo, meu Twitter é:
www.twitter.com/marcusvinicios6
@marcusvinicios6